Blog - Conhecendo seu professor: Paulo Sérgio CEV Vestibulares

CEV Vestibulares

Blog

Conhecendo seu professor: Paulo Sérgio

Ele é dono de múltiplos talentos. Trabalhou como dentista durante dois anos (na rede pública e na rede privada), chegando, inclusive, a ter uma clínica. Dentre as muitas atividades que preenchem suas horas vagas, dar vida ao seu tino de músico é uma das que mais lhe dá prazer. Mas, seu coração sempre bateu mais forte pelas salas de aula. Chegou ao CEV no início do ano passado e tem o hábito de se realizar mediante as conquistas empenhadas por seus próprios alunos. Esse é Paulo Sérgio, professor de Química do CEV.

Curiosamente, foi devido a uma quase reprovação na disciplina de Química que Paulo pôde descobrir sua vocação: “Depois de receber um voto de confiança de um professor (que me prometeu uma importante ajuda no caso de eu conseguir tirar uma nota muito boa na prova final) eu estudei como se não houvesse amanhã, e, através disso, descobri não só o apreço pela disciplina em questão, mas, também, pelo ato de lecionar (tendo em vista que, naquela época, pude ajudar colegas que se encontravam na mesma situação)”, diz. Em pouco tempo, o público das suas aulas já não era mais composto apenas por seus amigos, e, sim, por um grupo muito mais abrangente de pessoas.

Ele chegou ao CEV no início do ano passado através de um convite do professor Antenor, que o viu como protagonista de algumas videoaulas, convidando-o, logo em seguida, para fazer um teste visando sua participação nas turmas regulares da instituição. O resultado não poderia ter sido melhor, tendo em vista que o amor de Paulo pela profissão pôde ficar ainda maior: “Ser professor para mim significa lapidar: é você pegar a matéria bruta e transformá-la num lindo diamante. É você poder modificar vidas, é você poder ajudar as pessoas a realizarem sonhos. A cada conquista dos nossos alunos eu fico assim... sempre mais feliz. E ao mesmo tempo a gente fica naquela saudade, né? (por conta do distanciamento natural que ocorre a cada fim de período letivo). A educação é a maior ferramenta da qual o ser humano pode fazer uso visando o sucesso”, garante.

Sobre as dificuldades que são inerentes ao nobre ato de lecionar, Paulo é enfático: “As condições ruins de trabalho na maioria das escolas (são os fatores que mais atrapalham no exercício pleno da profissão). O CEV nos proporciona um ambiente de trabalho maravilhoso. Era o que seria ideal, eu digo assim (que fosse dessa forma em todo lugar, mas, a gente sabe que isso acontecer para todas as redes de ensino constitui algo utópico). Além da falta de motivação, em muitos momentos, que atinge o profissional. Tem muita gente que parece que fez o curso de licenciatura porque “foi o jeito”, não faz por amor, é aquela coisa de trabalhar como se fosse obrigado. Isso eu vejo como empecilhos nos dias de hoje”, afirma.

Ao contrário do que muitos pensam, Paulo vê no magistério a possibilidade real de desempenhar uma função dinâmica, enriquecedora e sempre repleta de muitas surpresas, e, além disso, de uma completa satisfação pessoal: “Eu me sinto completamente realizado. Depois que comecei a dar aulas eu pude concretizar vários sonhos (como por exemplo, ter uma casa, ter um carro, dar um conforto maior para minha noiva, para toda minha família em si). Como sempre digo, eu não trabalho, me divirto. Toda aula é diferente da outra. Sempre há perguntas, brincadeiras diferentes. No nosso dia a dia, mesmo que o conteúdo seja o mesmo, tudo acontece de forma diferente em cada aula. Não há nada de monotonia”, assegura.

Nesse contexto, seu alicerce familiar sempre foi de fundamental relevância no processo de busca das suas conquistas: “Minha família foi minha base. Sempre tive o apoio dos meus pais em todas as minhas escolhas. Meu pai nunca escolheu minha profissão, nunca disse o que eu tinha que fazer”, pontua. Já nas horas de folga, Paulo faz de tudo um pouco, mas, sem jamais deixar a preocupação com seu lado profissional de lado. Pelo contrário: “Nos meus momentos de folga, por incrível que pareça, gosto de estar fazendo questões de química. Sou apaixonado pela matéria. Sempre estou procurando me especializar, trazer coisas novas para dentro da sala de aula, mas, também gosto de sair, me divertir com meus colegas. Gosto de tocar, sou músico também. Gravo vídeos para o meu canal no instagram, onde eu faço algumas videodicas, alguns esclarecimentos, e “lives” para ajudar a garotada aí nesses momentos que antecedem os vestibulares”, relata.

Para finalizar, ele deixa um recado de grande valor para todos aqueles que estão começando a desbravar os caminhos – nem sempre tranquilos – que levam a escolha de uma profissão: “Independente de qualquer coisa, siga sempre seus sonhos. Eu acho que Deus não coloca no coração da gente uma vontade que a gente não é capaz de realizar. Então, se você tem vontade de fazer Química, se você tem vontade de fazer Medicina, Direito, qualquer profissão que seja, acho que você deve perseguir seu sonho, nunca o deixando morrer, seguindo em passos firmes no intuito de alcançá-los”, finaliza.    

Gostou? Pois, nos diga que outras histórias você quer conhecer acerca dos nossos professores! Sua sugestão é muito importante para nós, e, em breve, pode ser concretizada aqui neste espaço!